31 de outubro de 2010

ATITUDES SAUDÁVEIS RESULTAM EM QUALIDADE DE VIDA

Eu ajudando na montagem do meu jardim

Alguns meses depois...

Primeira fase da minha horta

Hortinha de 2.60 m  x 3.8m

Uma das fartas colheitas

Outra colheita, hoje tenho beringela,jiló,tomate cereja, espinafre,ervas.

Meu depósito de lixo organico provindo da cozinha e folhas do quintal

Apenas um buraco mas retiro  20 k de adubo cada dois meses

ATRAVÉS DESSA PEQUENA DEDICAÇÃO, POSSUO NO MEU JARDIM HOJE 9 ARVORES FRUTÍFERAS,MUITAS FLORES , ALIMENTOS ORGÂNICOS E UMA VARIEDADE DE PÁSSAROS VISITANTES .
ISSO NÃO TEM PREÇO!!!

28 de outubro de 2010

Porque a EDUCAÇÃO AMBIENTAL é tão difícil de implantar ?


Fala-se muito na falta de motivação dos professores, desculpem-me mas vou descordar. O professor só tornou-se  professor porque ele foi motivado por vocação para atuar na educação,  e infelizmente os últimos governos com suas políticas educacionais ora instituídas, não estão APROVEITANDO esse profissional sedento de educar, esse mesmo governo vem aniquilando os professores com esse formato de educação que temos nas escolas públicas, esse mesmo governo não tem interesse em transformar essas políticas educacionais pois ele na verdade tem MEDO de intelectuais que possam mobilizar outras  pessoas com poderes  apenas pelo conhecimento.

O que vem acontecendo é um descaso proposital para com a educação com movimentos  voltados apenas para angariar amplitude em pesquisas de analfabetismo e para galgar posições fictícias no EPT da UNESCO. Esse caminho ora usado pelas políticas de Educação  diminuindo a taxa de repetência não promove ninguém, isso é cruel se pensarmos que uma  criança  chega a escola disposta a estudar, fazer amigos compreender a vida em sociedade e uma grande parcela matar a fome também. É inadmissível aceitarmos que governo após governo perpetue esse formato. Nossas crianças merecem ir para escola para  aprenderem e não só para marcar presença. È possível quando se quer, diminuir a taxa de repetência ENSINANDO, reforços para quem necessite,  mas jamais largar a educação do jeito que está.

A escola deveria ser um segundo lar , mas aquele lugar que transformaria o aluno num ser de amplo conhecimento. Que esse aluno entrasse pela manhã e saísse a noite de banho tomado e jantado, mão de obra para ter uma escola desse formato não falta o que precisa é vontade de proporcionar um ambiente onde se aprenda as disciplinas curriculares, que se aprenda também habilidades manuais,  que  futuramente possam ser usadas para sustento da família, onde se aprenda sobre música, teatro e outras formas de expressão pois isso tudo ao final, para crianças desfavorecidas financeiramente seria um oásis de maravilhas pos ir a escola não seria uma obrigação e sim um PRAZER ,prazer em aprender a ser um cidadão pleno de direitos e conhecedor de deveres.
Bom lembrar que este modelo de escola, “ Escola parque”  foi introduzido  na Bahia  e defendido por muito tempo por Anísio Teixeira, infelizmente também sofreu perseguições políticas e morte mal explicada.

A educação ambiental  seria  relativamente fácil de ser implantada, mas encontra muitos obstáculos  devido as excessivas falhas no sistemas  político e educacional brasileiro. As crianças que hoje estão na escola vêem de uma geração de pais que também não tiveram uma educação merecida e todavia não apresentam condições de educar os seus  filhos , que   já   nasceram   na   geração onde predomina  a espera de ajuda , onde   a   tal   “Promoção Social” só se qualifica pelo nome mas em si não trás nenhuma promoção para o ser acompanhado.
Enfim, a educação ambiental fica concentrada  em  campanhas,  muitas vezes oriundas do setor privado que usam  concursos  de produção literária  ou artísticas para promoverem-se socioambientalmente apenas, porém  o que seria mais eficaz, seria a inclusão da disciplina desde o Infantil ,   preconizando conceitos e mudanças de hábitos do dia a dia , treinado-os a partir da escola  para  assim levar  à  família, esses conhecimentos simples no dia dia , transformando  a mesma  numa família educada para usufruir e proteger o Meio Ambiente de forma sustentável.

Nos dias de hoje, pensamento mais voltado para minha profissão,  seria imprescindível a presença de plantão de um  Assistente Social nas  escolas da rede pública, pois, devido ao desmantelamento da família e os rumos que o governo tem dado através desta política educacional, onde  os alunos tudo podem fazer  só “não devem aprender”, as escolas viraram também quartéis de  crianças instruídas por programas de televisão que incitam a barbárie e a violência  e acabam por reproduzir isso dentro das escolas contra colegas, professores  e as instalações e o Meio ambiente , pois,  não demonstram nenhum tipo de civismo, isso não lhes foi dado e nem  cobrado,  tais comportamentos  nem a família muitas vezes os teve e por sua vez a escola hoje,  também não se incumbe mais disso.
Há necessidade de retornar a disciplina “Moral e Cívica ou OSPB” incluído nelas saberes para preservação do Meio Ambiente, com mudanças de hábitos e atitudes e que, já que não  parte da família,  partiriam então  da escola esses novos valores, possibilitando um futuro com reais comemorações em diminuição  das taxas de analfabetismo e outras.

Enfim, eu sonho com isso...mas sei que é  utópico se visto  pelos políticos que temos...


20 de outubro de 2010

NA ESCASSEZ DE ASSUNTO....




Elegi falar da  escassez e acabo de me arrepender, pois nessa  problemática  a  “escassez”  não é um fato, porque infelizmente escassez  possuímos de muitas formas  em nosso Brasil.

Iniciemos a falar da escassez cultural, essa que a cada dia se perpetua mais e mais devido a falta de comprometimento político que  nos força a acreditar que é por  ser conveniente, desta forma vence as grandes mídias com a pobreza de programas oferecidos, já que a grande camada da população brasileira tem a TV com principal quando não único meio de lazer, e assim a facilidade de manipulação também é um ótimo investimento.

Encontramos-nos  com a escassez de “igualdades”, já que impera a muito tempo aqui no Brasil a desigualdade social, que acaba por colocar uma grande parcela da população em risco de várias maneiras, pois ao não propiciar ajustes para que  tenham condições de se desenvolverem e serem capazes de  criar sua própria  autonomia para “SER” ator de sua própria vida,  sem dar  fantasia de herói  a patrocinadores  de práticas políticas  a muito  tempo exercidas aqui,  que além de não suprir, não fazer crescer, nem satisfazer  necessidades básicas elas também não  proporcionam a libertação e  a evolução dessas pessoas, ela cala profundamente nesses pobres coitados  o estigma de serem as promessas de projetos eleitoreiros de norte a sul do país.

A mais dolorosa  é a escassez de educação, pois essa acaba por ser culpada por  outras:  a escassez de  segurança,  tecnológica  que consequentemente causa a escassez de recursos humanos para preencher vagas de empregos.
 Infelizmente  ou   previsivelmente , pois com a escola pública que se oferece hoje em dia, em que os  alunos  não podem faltar...porém não PRECISAM APRENDER, pois não podem ser ‘humilhados” repetindo o ano, serão com certeza eleitores voluntariamente aos 16 anos ou obrigatoriamente aos 18. 
De onde foi que tiraram essa idéia para aplicar na educação? È impossível conceber que um aluno do ensino médio seja incapaz de ler um texto e interpretá-lo e ainda quererem com isso,   culpar os professores por esses estarem desatualizados e desmotivados para dar aula. Senhor perdoe-os eles não sabem o que fazem!

Ainda mais sério, encontramos a escassez d’água, esse bem natural que o Brasil é privilegiado pela quantidade que possui, porém, já há estudos que isso se tornará motivo para conflitos tanto aqui como em outros países , onde o risco de perdermos nossa soberania em relação  a nosso rios e nossas matas é iminente, se atitudes urgentes não forem tomadas, pois além do aquecimento global, da poluição, temos as irresponsabilidades diárias no consumo colaborando para que a água se esgote.

Chego agora a escassez  de escassezes a citar neste texto, que na verdade nem assunto tinha, mas como o  Brasil é um país  portador de  um terço da biodiversidade do planeta, 12 % de toda água doce do mundo , onde 50 % vive na pobreza  com apenas 10 % da renda nacional, mas  o que importa mesmo é que o  Brasil é o país do Futebol, tem carnaval todo ano, e eleição a cada quatro anos.

17 de outubro de 2010

RAPA DE ARROZ


Adriana Teixeira Simoni


Tem algo mais gostoso que ser reconhecido na rua?  Mais emocionante que apaixonar-se? Mais satisfatório que ver algo feito, inventado, escrito, desenvolvido por você sendo valorizado  por outras pessoas  ou meios ? Tem algo mais divertido que receber uma lambida de seu animal de estimação?  Há.... tem algo mais realizador que ser elogiado por seus pais quando ainda criança de alguma besteirinha , gracinha que fez? Ou ainda ser reconhecido publicamente por um  feito seu, na escola,  no trabalho ou na vida social? Existem momentos mais impactantes do que perceber que a vida é uma construção e que você muda a disposição das peças no projeto quantas vezes quiser. ? (“peças” na minha terra Rio Grande o  Sul, são os cômodos da casa) A vida é composta de várias peças e que nós temos livre arbítrio para dispô-las comodamente conforme nossos momentos requerem. (essa percepção às vezes demora) Porém  são sempre uma infinidade de momentos. Mas, ainda assim será possível  que viver  não valha a pena?
Há... eu queria ter três ou quatro vidas, todas se aproximando dos 100 anos pois assim quem sabe teria tempo de responder a tantas perguntas , e encontraria uma resposta diferente , pois na vida tudo é capaz de desenvolver sensações, e cada uma delas , mesmo que no momento “x” tenha desenvolvido sentimentos nem tão valorizados ou agradáveis, ainda assim, terá sido uma sensação que trará ao menos a tal: famosa,  a estrela ,  a  tal  “experiência”.
A experiência acumulada a cada dia de nossa vida será  sempre a nossa companhia fiel , falo da experiência adquirida com a vida, mas não essa tão requerida profissionalmente . A verdadeira  experiência é   ter sentido o cheiro de uma flor tal e reconhecê-lo ao longe, lembrar o sabor de um bolo só em pensamento  , reconhecer  o perfume de alguém que passa, a  saudade de um fazer, as emoções de uma paquera, lembrar a suavidade de uma voz num canto qualquer, de uma conversa interessante, de um olhar furtivo num desconhecido, a grata satisfação de um beijo meio roubado, a lembrança de um relacionamento jamais esquecido, o reconhecer de  um saber, o ganho na arte de seduzir, o prazer de conseguir orientar um desorientado para que esse também se encontre na vida, o sabor de conscientizar  outros sobre qualquer coisa,  são tantas experiências...
Experiências são incalculáveis são mais que lembranças apenas,  são registros jamais perdidos,  são fotografias da alma....
Há...como eu gosto da rapa de arroz que só  faz  no arroz feito pela minha mãe....

11 de outubro de 2010

NOSSO LIXO DE CADA DIA




          Adriana Teixeira Simoni


As pessoas ficam surpresas ou esboçam um semblante de alguém que não compreende alguma  coisa, quando eu me empenho a defender a importância de dar o destino correto ao nosso lixo de cada dia e que necessitamos  desenvolver  hábitos responsáveis com os resíduos  sólidos que produzimos.

Eu não compreendo esse olhar desconfiado, que me remete ao que essa   pessoa está pensado naquele momento:  “ - coitada... com tanto assunto pra ela se dedicar , ela se envolve com lixo, algo tão desprezível”.

Eu ainda verei muitas pessoas que assim pensam, atormentadas pelo fato de não terem dado o  valor (coisa que o lixo na verdade também  possui) ou a atenção que deveria ao seu lixo. Caso ache que isso é impossível, atormentar-se por causa do lixo, digo que é possível sim  e não raro de se ver em noticiários  com acontecimentos ocorridos devido a  irresponsabilidades com destino do  lixo.

É preciso entender que é de fato nossa, a  responsabilidade com o lixo, e que a mesma  não se encerra no momento em  que colocamos o “estorvo” pra fora de casa, pois lixo residencial é um problema sério e que não se resolve apenas colocando-o a disposição do lixeiro,  para que esse leve-o  embora da nossa vista.

O lixo produzido diariamente em cada  residência torna-se um volume muito grande  e que aumenta a cada dia com o aumento do consumo e também das irresponsabilidades, pois nem todos possuímos hábitos desejáveis na separação do lixo e assim ele vai se tornando algo venenoso ao meio ambiente pois o lixo orgânico contamina outros lixos secos com potencial para reciclagem, tornando-o lixo comum sem valor , por não permitir sua reutilização   e   atualmente acabam em um aterro sanitário.

Quantos aterros sanitários terão daqui alguns anos,  quando e como  isso vai acabar?
Existem tecnologias alemãs  de usinas de lixo, caras, porém recentemente um engenheiro brasileiro ,  sergipano,   inventou um incinerador de lixo inteligente, onde entra do jeito que o caminhão pega na rua  e depois da incineração sai carvão da matéria orgânica, animal e vegetal , os minerais são preservados (lata,cobre,alumínio e ferro)  além de gases e outros fluidos que podem ser vendidos e principalmente não poluem o ar e todo  LIXO ali processado é 100% aproveitado gerando  fundos para sua própria manutenção e ainda com excedentes para outros investimentos, além é claro do grande ganho ao meio ambiente, livrando-se para sempre desse entulho de lixo que seria acumulado em um aterro a um custo bárbaro.

Essa é um idéia ao menos a ser pesquisada pelas administrações de cada cidade, pois os benefícios prometidos por essa máquina inventada por um brasileiro pode ser uma boa solução para  todo lixo produzido, gerando economia e menos poluição ao meio ambiente.

Já  que estou falando de LIXO, não que eu  tenha prazer, porém, sinto necessidade de  orientar a cada um para que cuide pelo menos do seu lixo,  pois  cada um contribuindo com um pouco,  sinto que o planeta onde todos nós vivemos e  desfrutamos, suspira numa demonstração de  agradecimento  por nossa  pequena atenção, igual  a nós,  quando algo que muito desejamos,  acontece.



Adriana Teixeira Simoni é estudante de graduação em Serviço Social com interesse socioambiental.
Publicado no  JORNAL O POPULAR de Mogi Mirim -SP em 16/10/2010

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...