Mostrando postagens com marcador cooperativa de reciclagem de lixo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador cooperativa de reciclagem de lixo. Mostrar todas as postagens

24 de abril de 2017

LOGÍSTICA REVERSA



Você conhece a logística reversa? Ela está prevista na Política Nacional de Resíduos Sólidos e já vem sendo utilizada por empresas cujos descartes de materiais demandam um certo cuidado, como fábricas de eletroeletrônicos. Basicamente, consiste em pensar em todo o ciclo de vida do produto, desde sua fabricação até o reaproveitamento ou descarte final. Você também pode adotá-la no seu dia a dia, dando preferência a produtos que podem ser recicláveis ou que gerem o mínimo de impacto no meio ambiente.
O que você acha dessa política? Você tem mais dicas de como diminuir os resíduos?

1 de novembro de 2012

Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis




MNCR - Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis

Fundada em 2001

Missão
Luta e organização!
Descrição
O Movimento Nacional dos catadores é um movimento social que há cerca de 10 anos vem organizando os catadores e catadoras de materiais recicláveis pelo Brasil afora. Buscamos a valorização de nossa categoria de catador que é um trabalhador e tem sua importância.

Nosso objetivo é garantir o protagonismo popular de nossa classe, que é oprimida pelas estruturas do sistema social. Temos por princípio...Ver mais

Informação Geral
PRINCÍPIOS E OBJETIVOS

ARTIGO 1o
O Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis - MNCR, trabalha pela ‘auto-gestão e organização’1 dos catadores através da constituição de Bases Orgânicas, em que a ‘participação’ de todos os(as) catadores(as) que querem ajudar a construir a luta de seus direitos, seja um direito internamente garantido, mas também um dever do catador com o Base Orgâni
ca, com um critério de democracia direta2 em que todos tem voz e voto nas decisões, conforme critérios constituídos nas bases de acordo;

1 “Auto-gestão” é a prática econômica em que os trabalhadores são os donos das ferramentas equipamentos de produção. Auto-gestão é o modo de organizar o trabalho sem patrões, tendo a decisão, o planejamento e a execução sob controle dos próprios trabalhadores.

2 “Democracia direta” é forma de decisão tomada pela participação coletiva e responsável da base. Uma decisão pode ser feita por consenso ou por maioria de votos, mas sempre deve respeitar antes de tudo a exposição das idéias e o debate.


ARTIGO 2 


O MNCR tem na ‘ação direta popular’3 bem como em outras formas organização um princípio e método de trabalho, que rompe com a apatia, a indiferença e a acomodação de muitos companheiros(as), que parta desde a construção inicial dos galpões e sua manutenção, não esperando que caia tudo pronto do céu, e até as mobilizações nas grandes lutas contra a privatização do saneamento básico e do lixo, contribuindo para a preservação da natureza, mas também lutando pelo devido reconhecimento e valorização da profissão dos catadores ; 



3 “Ação direta” é um princípio e método que carrega o sentido do protagonismo do povo auto organizado, ou seja é o povo que deve fazer diretamente as transformações, com o exercício de suas próprias forças, união, organização e ação, sem viver esperando para que os outros façam por nós, que caia do céu como um milagre ou um presente, sem que nos esforcemos para isso;



A ação direta pode ser da pessoa para o grupo, do grupo para a base, da base para o movimento, e do movimento para a sociedade;




ARTIGO 3 

O MNCR busca garantir a ‘independência de classe’4 em relação aos partidos políticos, governos e empresários, mas também lutando pela gestão integrada dos resíduos sólidos com participação ativa dos catadores organizados, desde a execução da coleta seletiva com catadores de rua, até a triagem e o beneficiamento final dos materiais, buscando tecnologias viáveis que garanta o controle da cadeia produtiva, firmando com os poderes públicos contratos que nos garantam o repasse financeiro pelo serviço prestado a sociedade, e cobrando das empresas privadas, produtora industrial dos resíduos o devido pagamento pela nossa contribuição na reciclagem.



4 “A independência de Classe” é o principio histórico que orienta a luta do povo na busca pela nossa verdadeira emancipação das estruturas que nos dominam; Significa que a união do povo, nossa luta e organização, não pode ser dividida por diferenças partidárias, nem se deixar manipular ou corromper pelas ofertar que vem das classes dominantes, governos e dos ricos;



Não significa ignorar as diferenças, sabemos que elas existem e são saldáveis, porem estas, não podem ficar acima do movimento a ponto de dividido. O acordo com este princípio é o que pode contribuir para que não soframos manipulações futuras;





ARTIGO 4 

No MNCR, ao contrário do individualismo e da competição, buscamos o ‘apoio mútuo’5 entre os companheiros(as) catadores(as) , e praticando no dia a dia das lutas a ‘Solidariedade de Classe’6 com os outros movimentos sociais, sindicatos e entidades brasileiras e de outros países. E desta forma ir conquistando “o direito à cidade”, local para trabalho e moradia digna para todos, educação, saúde, alimentação, transporte e lazer, o fim dos lixões e sua transformação em aterros sanitários, más com a transferência dos catadores para galpões com estruturas dignas, com coleta seletiva que garanta a sustentação de “todas as famílias”, com creches e escolas para as crianças.



5 O “Apoio Mútuo” ou Ajuda Mútua é o principio que orienta nossa atitude para a prática que contribui para a construção da solidariedade e da cooperação, é contrario aos princípios da competição, do egoísmo, do individualismo e da ganância;



6 A “Solidariedade de Classe” é o principio histórico da união de todos os pobres. Sabemos que a sociedade que vivemos está dividida em classes: pobres e ricos, Opressores e oprimidos, os que mandam e os que obedecem. Nosso povo faz parte das classes Oprimidas, somo um setor dentro delas, porem existem vários outros setores de classes oprimidas pelo sistema capitalista, como: os sem terra, os sem teto, os índios, os negros e kilombolas, os trabalhadores assalariados, etc.... É importante compreendermos isso pois em nossa luta sozinhos, não venceremos, a verdadeira vitória só pode ocorrer com uma profunda transformação da sociedade, ou seja, onde não existam mais ricos ou pobres, opressores e oprimidos, mas sim liberdade e igualdade. Para construirmos essa nova sociedade temos que construir na luta a “solidariedade com todos os setores das classes Oprimidas”.


O catador organizado, jamais será pisado!

Pela construção do Poder Popular!

Viva o MNCR !!!

Informações de contato

21 de agosto de 2012

DÊ MAIS VALOR AO CATADOR


Hoje a sociedade imersa no consumo descartável produz uma infinidade de lixo diariamente e essa mesma sociedade que se diz possuir a última tecnologia em sua casa, carro, bolso não consegue perceber que esse lixo que ela descarta sem a menor preocupação, de qualquer jeito, em qualquer lugar, pode ser o algo mais na casa, na vida, no bolso, na carroça de muitos CATADORES DE RECICLÁGEM.

Os catadores são agentes ambientais que encontramos pelas ruas das cidades recolhendo de nosso caminho o que alguns seres da sociedade desprovidos de consciência ambiental e social deixam, desprezam jogam ou "esquecem" pelas ruas e calçadas da cidades achando que como é lixo basta colocar para fora de sua casa e longe de seus olhos. Eles não reconhecem nem percebem a necessidade de olhar e tratar do meio ambiente da mesma forma como tratam sua casa, não entendem que o planeta é a casa que temos em comum e que TODOS deveriam respeitar.
Portanto não custa nada você dedicar um tempinho e um espaço em sua casa/quintal e reservar de forma consciente o seu lixo reciclável, limpo de forma que o catador possa transformá-lo  dignamente em sustento ao mesmo tempo que livra VOCÊ do incomodo do "lixo".

Para isso também  aconteceu em Junho/2012   um dia inteirinho destinado aos catadores com " Pit stop"  em sua carroça e também no motor dessa carroça o próprio catador.  O   projeto chamado   PIMP MY CARROÇA!  desenvolvido no sentido de colocar a sociedade mais próxima desses agentes tirando-os da invisibilidade , através da produção de seu veículo de trabalho tornando-o mais presente visualmente pelas ruas da cidade   carregando também mensagens que levam a uma reflexão quando você motorista está preso no trânsito e a carroça desse agente ambiental passa por você "carregando" a sustentabilidade  do planeta.

Durante o "PIMP MY CARROÇA!" tanto os carroceiros recebem uma “tunada” quanto suas carroças, recebendo adereços e itens de segurança . Eles ganham camiseta do projeto, um lanche passam por um clínico geral e um oftalmologista , ganham óculos se necessário e também tem oportunidade de conversar com um especialista em dependência química.
 Esse encontro proporciona a todos participantes indicados  além do  destaque de suas carroças  o   conhecimento  de que a coleta seletiva implantada de forma responsável é fundamental para o sucesso da gestão dos resíduos sólidos urbanos nas cidades . É um momento onde eles  podem falar, demonstrar o quanto  possuem   de  consciência ambiental  frente a uma grande parte da sociedade que tem muito mais oportunidades na vida  mas que não é  tão conscientizada  ou interessada sobre como sua pegada está pesada e impactante ao meio ambiente.

Segue o manifesto do "Pimp MY Carroça"

"- O reconhecimento do catador como um agente fundamental na coleta seletiva municipal, colaborando para limpeza pública e conservação do meio ambiente;
- A ampliação, com urgência, do Programa de Coleta Seletiva Municipal, através da inclusão de novas organizações de catadores, estruturas adequadas para a gestão de resíduos e melhores condições de trabalho;
- A implantação imediata de ao menos uma central de triagem em cada uma das subprefeituras da cidade;
- A garantia da liberdade de circulação. O direito à cidade a todos os catadores!
- A integração de estratégias para o setor que sejam focadas em políticas de desenvolvimento humano e social para que os catadores se tornem protagonistas do planejamento e gerenciamento de seus próprios negócios;
- A contratação e remuneração justa dos catadores pelos serviços prestados, elevando a viabilidade e afastando os efeitos da sazonalidade de preços de venda, garantindo melhores níveis de renda aos trabalhadores;
- O investimento em programas de educação ambiental, que estimulem a separação na fonte e a doação dos resíduos para os catadores, engajando a população na gestão de resíduos de nossa cidade e incentivando a adoção de novas práticas de consumo e descarte.
- A participação efetiva dos catadores na elaboração do Plano Municipal de Resíduos Sólidos, assim como de toda a sociedade civil e a discussão do tema por todas as secretarias municipais cabíveis, e não só a Secretaria de Serviços."



Assista também o mini documentário sobre Pimp My Carroça!  em :   http://vimeo.com/45878176 


25 de maio de 2012

EVOLUÇÃO REQUER A SOCIEDADE



Adriana Teixeira Simoni

O assunto lixo vem sendo discutido em muitos dos meios de comunicação, numa  busca incansável de  soluções para o  descarte do lixo, isso chega a ser incompreensível, pois  algo que comprovadamente agrega tanto valor, entretanto  as soluções no seu   destino  correto  fazem tantos rodeios.

A questão é profundamente preocupante, pois se afunila nas exigências advindas de novas normas e legislações que impõem data limite para soluções quanto ao fim dos lixões e cobram destinação adequada dos municípios brasileiros. Paralelamente aumenta a produção lixo ao mesmo tempo que  a população anestesiada pelas artimanhas do capitalismo se deixa cair nas armadilhas do consumo fácil,  do consumo descartável.

O fato é que toda e qualquer iniciativa referente a soluções quanto ao lixo devem incluir a sociedade e incluí-la efetivamente, pois não é aceitável com tudo que é falado, discutido e difundido nas mídias se encontrar parte dessa sociedade descomprometida e sem participação nas questões envolvidas com a preservação ambiental. Não basta só levar a sacola retornável ao supermercado para se dizer agente ambiental.

Quando se fala em comprometimento dessa população no assunto destino correto do lixo se evidencia a necessidade da evolução dessa sociedade para lidar com o lixo para lidar com algo de alto valor agregado, onde é possível extrair energia, geração de renda com a saída da miséria para muitas famílias além de economia dos recursos naturais, a famosa sustentabilidade.

A população precisa estar consciente de sua importância nesse processo relacionado ao destino do lixo urbano, e do reciclável,  pois  antes de qualquer investimento pelo município em qualquer das tecnologias  disponíveis para dar o fim  adequado ao lixo,  desde que a  tecnologia elegida não venham a prejudicar o ambiente a sua volta , a população  precisa ajudar separando  o  lixo reciclável do lixo orgânico possibilitando assim  o sucesso desse plano.

As cooperativas de recicladores quando conveniados a prefeituras onde um apóia o outro, a coleta seletiva pode ser bastante incrementada aumentando consideravelmente o lixo reciclável recolhido e encaminhado a geração de renda, livrando assim  o município de despesas inúteis com a disposição  final desse material “rico”  proporcionando um ganho socioambiental  fantástico.

Presenciei um dia de coleta de lixo num  bairro  de classe média alta,  eram umas 19h00 onde praticamente em todas as lixeiras havia uma infinidade de produtos recicláveis misturados entre outros lixos contaminados dispostos para  a coleta urbana levar. Fato que revolta,  pois já tem anos em que a cooperativa  de recicladores recolhe em dia específico da semana. Custa a sociedade  colaborar e separar para eles? Lógico que não! Mas é o que ocorre. 

Esse lixo “rico” demorará muitos anos para decompor e com esse destino irresponsável ou descomprometido acaba deixando de garantir o sustento de algumas famílias. Esse comportamento foi notado num bairro de classe média alta, porém   se fosse num bairro de baixa renda com certeza o preconceito daria outras explicações...

Vamos cuidar do nosso lixo e cobrar do poder público uma destinação adequada. Cada um fazendo a sua parte  logo chegaremos a evolução!


Por mais que tento me distanciar do assunto "LIXO" mais me aproximo....creio que hoje o que permeia minhas preocupações é a questão do "lixo" e as responsabilidades com ele envolvidas...


Fantástico é a frase em que fala de " lixo e luxo " pois é a verdade , o "lixo" possui uma série de riquezas que uma hora serão descobertas e virarão disputa entre muitos empresários....EU ACREDITO NISSO  E VOCÊ ?

18 de fevereiro de 2012

SAMBA SUOR E SUJEIRA



Cinco dias de festas onde  a conta fica para nosso planeta...



Adriana Teixeira Simoni

De Paris aos dias atuais, o Carnaval continua o mesmo deleite dos prazeres da carne, onde nesses dias de festa tudo está liberado, desajustes de comportamento parecem não estarem tão inadequados.  Logo, como a moral e os bons costumes ficam em casa, a bebedeira também está solta bem como a vergonha e o acanhamento. Viva o Rei Momo viva o Deus Baco e que a chave da cidade abra as festanças para alegria dos foliões.

Desfrutar da companhia de amigos, dar muita risada, paquerar, namorar, beijar e outras infinidades de verbos que representam alegria de estar vivo e brincando carnaval. Nada contra, também gosto, mas creio que há certo exagero cometido nessa época, onde as pessoas passam dos limites que o próprio corpo suporta tudo a título da liberdade de aproveitar até o último minuto de festa como se fosse a última de suas vidas, e às vezes até é...

Enfim festas, feriados, comemorações, shows, praia lotada é sinônimo de excessos. Nesses dias de carnaval de rua e desfiles além do samba a sujeira também desfila e é possível encontrar toneladas de lixo espalhados ao amanhecer das redondezas onde o carnaval passou, até mesmo nos espaços pagos como na Marquês do  Sapucaí no Rio de Janeiro ou no Sambódromo em São Paulo.  Agora me pergunto, onde vamos parar com isso? Ninguém sabe... Isso também me preocupa e a você? Deixa pra lá hoje é carnaval...

Esse fato ocorre independente da existência de lixeiras ou não. A sociedade quando em festa só pensa na diversão e o que menos importa é se tem lixeira. Bom o que pode se esperar de multidões assim é isso mesmo, a locomoção entre as pessoas é difícil e acaba sendo mais fácil a alternativa “jogar ao chão” do que buscar a lixeira. Qual seria a solução além da educação? Talvez um comportamento menos consumista, já que gosta de festa, curtir a festa sem cometer os excessos com a bebida com conseqüente diminuição da geração de lixo. Será possível tal comportamento no carnaval?

Recordo-me de ter lido algo numa matéria sobre carnaval em Salvador que dizia que os catadores recolheram 50 toneladas de lixo reciclável em 2011 (separados para venda) nos dias do Momo em Salvador, achei pouco, pois é uma festa estendida e percorre a cidade com multidões atrás de carros elétricos de som , apesar que, parte desse lixo vai parar no mar algo ainda mais desastroso para a natureza.

É previsto para 2012  que  Rio de Janeiro e São Paulo devam aumentar   ainda mais  o total de  lixo recolhido,  pois em 2011  foram  849 toneladas  recolhidas nos 5 dias de carnaval no Rio e 463 toneladas no Sambodromo em São Paulo . O importante é que todo esse lixo seja  recolhido e separado,  gerando renda a famílias de catadores, proporcionando um ótimo destino para o lixo e  diminuindo a contaminação  ao meio ambiente .


Já que é para sambar quero me acabar fantasiada com uma máscara sambando  num carro alegórico camuflado de floresta amazônica desfilar numa fantasia  chamada de Desejo Sustentável sentada a beira de uma corredeira onde  fulge límpida água representando nossas reservas de água doce. Carnaval é isso... Cada um fantasia o que quer... Só o lixo   que é sempre  tratado  como  lixo!

Lixo e carnaval 2011:



7 de janeiro de 2012

MOMENTO LIXO


Adriana Teixeira Simoni

Irremediavelmente não podemos viver longe desse momento, ele participa de todas as atividades humanas, é onipresente, não há maneira que eu conheça cotidianamente falando de não produzirmos lixo e sendo ele tão onipresente acredito já estar na hora de mantermos uma convivência  sadia e consciente do mal que o lixo mau administrado pode acarretar na vida em sociedade.

Eu com essa insistência em querer que todos manifestem práticas bem vindas com referência ao seu próprio lixo, acabo me indispondo e me aborrecendo, pois acredito ser inadmissível não demonstrar responsabilidades com o nosso próprio lixo e é cruel perceber isso em bairros de classe social diferenciada também,  pois tanto se vê irresponsabilidades com lixo na periferia quanto em bairros de classe média alta e me permito voltar novamente ao assunto fogos de artifício , que são lindos de observar, porém  deixam resíduos bem feios e quem solta baterias  de fogos ou pequenos foguetes deve se responsabilizar pelo lixo deixado numa área pública  bem como as pessoas que não  dispõem de paciência e jogam barranco afora armários os sofás que não querem mais.

Que a produção de lixo está presente em todas as atividades diárias já é sabido. Que há também uma demora do poder público para dar disposição final para o lixo urbano mais condizente tanto com a legislação vigente quanto para com o que o meio ambiente requer, também. Porém nem sempre essa solução esperada do poder público necessita ostentar gastos fabulosos com tecnologias importadas daqui ou dali, coisa que nos dias atuais com tanta podridão aparecendo envolvendo prefeitos da região e de familiares dos mesmos pode nos desenvolver certa desconfiança merecendo nossa atenção, pois afinal é o dinheiro de impostos pagos a municipalidade que seria usada nesses projetos e que poderiam fazer falta em outras áreas caso o investimento não fosse transparente.

Todavia não são necessários investimentos tão altos do município para contornar os problemas com o lixo urbano. A coleta seletiva implementada com seriedade em algumas cidades, renderam benefícios socioambientais incalculáveis o que proporciona economia na extração dos recursos naturais, geração de  renda e  pode movimentar milhões ao lidar da forma sensata com o lixo.

Mas o pior desse cerne está a população que precisa evoluir muito mais do que o próprio assunto lixo.  Essa população ainda está parada no tempo e não tem diferença social que explique tal comportamento. O assunto consciência ambiental tem de estar na pele como perfume, pois demonstrar práticas ecologicamente corretas além de “moda” faz com que as pessoas se tornem celebridades. Hoje uma massa grande de artistas está bastante envolvida com a causa ambiental, não só como protagonistas de publicidade, mas como uma prática pessoal cotidiana deles e se orgulham desse comprometimento. Então me pergunto o que há de MENOS em eu, você, seu vizinho em agir para o bem do ambiente onde vivemos?  Devemos separar e cuidar do nosso lixo na frente de nossa casa, sim cuidar, porque não basta a gente colocar pra fora, precisamos cuidar para que ele seja realmente encaminhado para reciclagem, espalhado pela rua só vai potencialmente lhe causar prejuízos futuros no carro, no esgoto de sua casa, e outros.

Enfim, as vezes a falta de apoio a  Cooperativa de Recicláveis  pode fazer com que  a mesma deixe de prestar um serviço a população eficaz  pois a falta de caminhões decentes para fazer a coleta nos bairros mina seu perfeito e requerido serviço de coleta de recicláveis sendo que se houvesse um convênio com a Prefeitura como há em outras cidades,  o bem seria para todos tanto ao município pela economia com toneladas de  lixo urbano com potencial reciclável que deixa de ser encaminhado ao aterro sanitário bem como o  social proporcionando renda a famílias de catadores cooperados  e melhorando a qualidade de vida da população em geral. Portanto dedique um momento  para o seu lixo!

16 de maio de 2011

PARABÉNS AOS GARIS



Adriana Teixeira Simoni


PARABÉNS PROFISSIONAIS GARIS!

Hoje data comemorativa dos Garis, classe trabalhadora de extrema importância para garantir nossas ruas e praças limpas e graciosas.
Uma lástima  que nem todos os cidadãos desse país deêm a importância  necessária e o RESPEITO a esses trabalhadores, pois são cegos e incapazes de perceber uma lixeira um destinador de resíduos como papel de bala, garrafinha de água ou até mesmo panfletos  gerados durante seu passeio por áreas públicas onde a primeira atitude é a de jogar no chão causando uma má aparência estética a cidade, poluindo e promovendo desastres maiores somados a atitudes semelhantes ,  além de aumentar consideravelmente o trabalho desses profissionais, os GARIS.
Falta educação falta cidadania, seria muito bom se esses GARIS pudessem varrer essa falta de cidadania, de respeito de EDUCAÇÃO dessas pessoas irresposáveis e imaturas para viverem em sociedade.

PARABÉNS GARIS

Parabéns pelo empenho e dedicação por essa oportunidade de demosntrar através de seu trabalho dignidade e para  MOSTRAR ao POVO INCIVILIZADO  visão para a falta de educação ao qual eles estão mergulhados ao não jogarem o lixo nas lixeiras por onde andam.

3 de fevereiro de 2011

ISOPOR , VOCÊ CONSEGUE VIVER SEM ?


Adriana Teixeira Simoni

Você já parou para observar quantas embalagens de  isopor você  carrega para casa quando vai ao mercado? Isso tudo em nome do consumo, pois estando acondicionado individualmente peças de carne, frios, legumes, frutas você acaba comprando mais do que pretendia, uma forma onde o  comércio  está debruçado desde o mercadinho mais ingênuo,  aproveitando-se  da pressa  vivida pela humanidade , porém a  “desculpa”  é  a praticidade de encontrar tudo fácil e higienicamente acondicionado, logo leia-se menos emprego. Mas não quero falar de consumo agora.

Quando você compra um eletroeletrônico, acompanha  a caixa  de papelão e placas imensas de isopor para proteger os equipamentos na logística. Enfim, embalagens  para  marmita, comida rápida  , ovos, frios, carne, frutas, equipamentos , geladeiras portáteis, etc. Tudo em ISOPOR, será que já não está  mais que na hora de  utilizarmos menos o ISOPOR ou promover novas  formas de reutilização e  reciclagem  desse material.? Esse material utiliza um produto cancerígeno em sua fabricação além de levar 500 anos para se decompor na natureza

Mas ele não é tão vilão assim !  Apenas ecologicamente mal visto, mal percebido e recebendo menos valor do que merece.

A reciclagem do ISOPOR é possível conforme pesquisas  na Universidade Federal de Santa Catarina  que através de químicos ,engenheiros e técnicos desenvolveram um projeto onde reutiliza no processo de fabricação de um novo EPS (ISOPOR)  20% do isopor velho mais 80% de estireno.
Porém, apesar de não ser  tão difícil a  sua reciclagem , o fato que dificulta o processo é a logística, pois como é um material extremamente leve mas que ocupa grande espaço físico, acaba por encarecer  a sua reciclagem.

Apesar de haver a possibilidade da reciclagem, mas que acaba neutralizada pelo custo do transporte, temos que conviver com uma grande quantidade de isopor indo parar em lixões e aterros sanitários, entupindo bueiros e causando os mais diversos desastres  e ele não é propriamente poluente porém leva 500 anos para se decompor.

Existem além da reutilização para novo  EPS , no estado do Paraná também está sendo usado na construção civil como item  na formulação de concreto leve e também em compostagem, porém um  ou dois Estados no Brasil inteiro  para dar fim a aproximadas 90 mil toneladas de ISOPOR,  é muito pouco.

Cabe uma atitude, aproveitando a lei de resíduos sólidos aprovada recentemente, para  promover em cada cidade um setor de reciclagem e reaproveitamento do ISOPOR  ou  habilitando  as cooperativas  já existentes ou auxiliando-as no transporte até a única empresa atualmente que se encontra em Guarulhos-SP,  que não produz mais por falta da matéria prima, o ISOPOR usado. 
Não seria uma má idéia se os grandes atacadistas se reunissem e instalassem  em cada região uma recicladora de EPS com administração de  alguma cooperativa de reciclagem já estabelecida  na cidade, dando assim oportunidade de muitas  outras famílias tirarem o seu sustento do LIXO, do ISOPOR  que é um produto “limpo” de fácil manuseio e que acaba boiando pelas ruas e bueiros e comprometendo aterros e lixões com seu volume. Uma forma de investir em responsabilidade socioambiental na suas empresas.

31 de dezembro de 2010

REPAGINANDO GARRAFA PET



Vejam que criatividade,
que capricho ,
que graça
de
 Bolsa feita com garrafas pet  usadas.

Essa é apenas uma demonstração de como reaproveitar um material que já prestou seu primeiro serviço e que depois de descartada pode se transformar em algo , bonito ,  útil e além de desencarregar o ambiente desse "lixo" gera renda e fundos para outras produções , pois ao transformar esse material em algo útil ele retorna a sociedade de cara nova reforçando a sustentabilidade tão almejada nos dias atuais.

Além do pet reutilizado, os tecidos que fazem os fuxicos também são  feitos de retalhos e sobras de confecções , por enquanto minha amiga  Maria Goretti compra a linha e o tecido de fundo mas logo logo, com sua perspicacia para invenções artesanais fará algo mais sustentável ainda.

Maria Goretti e Livia aceitam encomendas deste modelo de bolsa bem como outros,  basta deixar email num comentário  que repasso a elas.

18 de setembro de 2010

Mesmo com "LIXO" se dá bons exemplos








Adriana Teixeira Simoni
Assistente Social com ênfase  socioambiental

11 de julho de 2010

AMBIENTE faz aniversário mas comemorar o quê ?




Adriana Teixeira Simoni

As convenções de datas comemorativas do Brasil impõem datas para categorias profissionais, datas religiosas, marcos de acontecimentos político/históricos, dos progenitores, dos Avós. Enfim, existem datas comemorativas para muitas coisas, inclusive a Mãe Natureza é lembrada no dia 05 de Junho, dia MUNDIAL do MEIO AMBIENTE. Porém, o meio Ambiente teria alguma coisa para celebrar? Pelo que consta, na Convenção do Clima de Copenhague não houve muito empenho e responsabilidade dos grandes poluidores em demonstrar atitudes para o controle de emissão de gases causadores do efeito estufa , que dirá pequenas providências sustentáveis dentro de nosso país.

Agora leitor, vamos tentar fazer uma simples comparação, que, se seguida com mesmo carinho e atenção, só nos trará benefícios. Vamos tratar o MEIO AMBIENTE como tratamos nossa adorada mãe de todos os dias.

Com nossa mãe, temos muito mais atenção, pensamos nela a todo instante e igualmente a solicitamos também a todo instante, porém, não temos os mesmos cuidados, o mesmo zelo, a qualquer momento ferimos nossa “MÃE” NATUREZA sem ao menos sentir qualquer constrangimento, mesmo que outros presenciem nossa agressão a ela.

Assisti  num evento  por comemoração dos dias das mães, onde o assunto MEIO AMBIENTE se encaixou perfeitamente na comemoração pelo Dia das mães  com a exposição de  diversas agressões ao meio ambiente com dados relacionados a cidade de  Mogi Mirim-SP. Entre vários assuntos expostos, de expressiva importância para com a saúde do meio ambiente vou salientar os que estão mais próximos a analogia que pretendo fazer com  “MÃES”.

 O consumo consciente da água : Dentro desta problemática, podemos associar a nossa mãe de todo dia, porque da mesma forma que ela, nossa mãe, está ali, sempre pronta a nos atender, a água também , você abre a torneira e ela sai limpinha, fresquinha pronta para ser usada. Porém muitas vezes nós não pensamos nela como “mãe” no momento em que escovamos os dentes, lavamos a louça, a calçada ou ignoramos um vazamento mesmo que este esteja externo, antes do relógio medidor.
Se pensarmos nessa comparação, nossa “mãe” iria embora pelo ralo, com um custo bárbaro para seu retorno a torneira.
 O nosso lixo produzido a cada dia : Quando pensamos no que dar de presente a nossa mãe, seja no dia das mães, no natal, aniversário sempre queremos lhe agradar com algo belo, útil e que dure muito. Pois bem , pra nossa “MÃE NATUREZA” você também deve pensar assim. Ela também merece mesmo carinho. Ao descartarmos nosso lixo em casa podemos colaborar dando ao meio ambiente um presente, separando o lixo reciclável ,que poderá ser reutilizado, do lixo orgânico onde a natureza também se encarregará , com algum tempo , de absorver, Mãe sempre sabe tudo.
 As queimadas : A poluição promovida com queimadas é uma crescente falta de consideração geral, pois com essa irresponsabilidade se expõe não só o meio ambiente a um crime, mas todos os cidadãos do planeta. Além do aquecimento global há um considerado aumento de procura nos postos de saúde por problemas respiratórios. É uma prática arcaica, prejudicial e infame!
Com nossa querida mãe , tratamos de protege-la de todo mal que possa atingi-la, e assim deve ser com Meio ambiente, quando ver o inicio de uma queimada , denuncie , ou ,como eu pessoalmente fiz uma noite dessas, percebi o inicio de uma queimada numa praça , pós limpeza da Prefeitura Municipal, sem pestanejar, desci de meu veículo procurei algo para “bater” no fogo e obtive meu intento, consegui ao menos naquela noite, dormir sem fumaça.

Vimos em muitos artigos, reclames de televisão, letras de música entre outros, a expressão “MÃE NATUREZA”, mas será que estamos dando a atenção e o valor realmente merecidos a ela?
Digo apenas, que, sem ela jamais poderíamos estar aqui, nos conscientizando de seu valor, que é tão digno quanto de nossa mãezinha de todo dia.

Vamos apresentar razões para celebrar o DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE com ações simples, mas que se cada um de nós ajudar, daremos um imenso presente de aniversário ao nosso PLANETA, e assim contribuiremos para que ele vibre vivo e saudável para comemorar junto a seus filhos.


Publicado em 05/06/2010 no Jornal o Popular 

2 de novembro de 2009

E AGORA O LIXO




Adriana Teixeira Simoni

Os dias de hoje nos fornecem informações  e atualizações tecnológicas a um piscar de olhos. Porém isso tem um custo ao meio ambiente. O lixo provindo dessa atualização quando não bem administrado destrói nosso meio ambiente. Mas quero falar do nosso lixo de cada dia, embora pareça desprezível é algo de suma  preocupação para com o  desenvolvimento sustentável.

Tente contar ao fazer uma caminhada pelo seu bairro ou por uma avenida movimentada que venha a ter um córrego ou rio próximo, quanto de lixo podemos enumerar entre latinhas, essas pelo valor financeiro gerado ainda será recolhida por algum “catador” de lixo, se estiver de fácil acesso, mas, vamos aos  PETs, frascos diversos ,sacolinhas de supermercado enroscadas entre o mato nas vias ou dentro dos córregos ,  papeis usados em propagandas de lojas e supermercados que são colocados em portões e os mesmos voam pelas ruas com o destino certo: os bueiros,  outras  vezes lotam  nossas caixas de correspondências, mas neste  caso menos pior pois  é possível guardar para destiná-los a reciclagem.  E com mais detalhes enumeremos também as butucas de cigarro e papeizinhos minúsculos que muitas vezes algum despreocupado com o futuro, joga pela janela do veículo ou mesmo deixa na própria porta do estabelecimento que lhe deu a balinha como troco ou agrado. 

Gente! Devemos dar  mais atenção a esse lixo, ao NOSSO LIXO.

 Percebo que o poder público também não destina a atenção devida a esse problema. Temos em nossa cidade o “Projeto Recicle” que trabalha aos trancos com veículos em estado lastimável, que com isso consomem o dinheiro que poderia ser usado no diesel para ampliar recolhimento de recicláveis em outros bairros, porém, gasta em consertos intermináveis da “lata velha” que possuem.
O trabalho desenvolvido por essa cooperativa trás benéficos de valor incalculável a nossa cidade e  uma parcela ao mundo, se  possuísse instalações  mais adequadas, que pudessem receber investimentos, seria um número maior de empregos e conseqüente maior entrada de recursos com a venda do material recolhido  e assim  aumento de  investimentos   em máquinas, e o mais importante :  menos LIXO.
 A reciclagem do lixo  reduz em 80% o volume do lixo que iria para o aterro sanitário, ao qual nosso município nem possua, paga para despejar em outra cidade e isso tudo  ao custo por tonelada. Com a reciclagem esse valor diminui, pois o destino do lixo seria outro, um destino muito mais inteligente e saudável ao meio ambiente.

Voltemos ao nosso lixo de cada dia, convido a todos a cada impulso de jogar algo reciclável no lixo comum ou de arremessar seja uma butuca,  o papel da balinha ou ainda aquele bilhetinho que já nos  serviu de lembrança  ao chão ... Pensemos em nossos filhos, netos, bisnetos e assim, preservar para que eles possam encontrar o meio ambiente, quem sabe, até, melhor do que hoje desfrutamos.


Publicado no jornal O Popular em 05/11/2009

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...