Mostrando postagens com marcador lixo reciclável. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador lixo reciclável. Mostrar todas as postagens

25 de maio de 2012

EVOLUÇÃO REQUER A SOCIEDADE



Adriana Teixeira Simoni

O assunto lixo vem sendo discutido em muitos dos meios de comunicação, numa  busca incansável de  soluções para o  descarte do lixo, isso chega a ser incompreensível, pois  algo que comprovadamente agrega tanto valor, entretanto  as soluções no seu   destino  correto  fazem tantos rodeios.

A questão é profundamente preocupante, pois se afunila nas exigências advindas de novas normas e legislações que impõem data limite para soluções quanto ao fim dos lixões e cobram destinação adequada dos municípios brasileiros. Paralelamente aumenta a produção lixo ao mesmo tempo que  a população anestesiada pelas artimanhas do capitalismo se deixa cair nas armadilhas do consumo fácil,  do consumo descartável.

O fato é que toda e qualquer iniciativa referente a soluções quanto ao lixo devem incluir a sociedade e incluí-la efetivamente, pois não é aceitável com tudo que é falado, discutido e difundido nas mídias se encontrar parte dessa sociedade descomprometida e sem participação nas questões envolvidas com a preservação ambiental. Não basta só levar a sacola retornável ao supermercado para se dizer agente ambiental.

Quando se fala em comprometimento dessa população no assunto destino correto do lixo se evidencia a necessidade da evolução dessa sociedade para lidar com o lixo para lidar com algo de alto valor agregado, onde é possível extrair energia, geração de renda com a saída da miséria para muitas famílias além de economia dos recursos naturais, a famosa sustentabilidade.

A população precisa estar consciente de sua importância nesse processo relacionado ao destino do lixo urbano, e do reciclável,  pois  antes de qualquer investimento pelo município em qualquer das tecnologias  disponíveis para dar o fim  adequado ao lixo,  desde que a  tecnologia elegida não venham a prejudicar o ambiente a sua volta , a população  precisa ajudar separando  o  lixo reciclável do lixo orgânico possibilitando assim  o sucesso desse plano.

As cooperativas de recicladores quando conveniados a prefeituras onde um apóia o outro, a coleta seletiva pode ser bastante incrementada aumentando consideravelmente o lixo reciclável recolhido e encaminhado a geração de renda, livrando assim  o município de despesas inúteis com a disposição  final desse material “rico”  proporcionando um ganho socioambiental  fantástico.

Presenciei um dia de coleta de lixo num  bairro  de classe média alta,  eram umas 19h00 onde praticamente em todas as lixeiras havia uma infinidade de produtos recicláveis misturados entre outros lixos contaminados dispostos para  a coleta urbana levar. Fato que revolta,  pois já tem anos em que a cooperativa  de recicladores recolhe em dia específico da semana. Custa a sociedade  colaborar e separar para eles? Lógico que não! Mas é o que ocorre. 

Esse lixo “rico” demorará muitos anos para decompor e com esse destino irresponsável ou descomprometido acaba deixando de garantir o sustento de algumas famílias. Esse comportamento foi notado num bairro de classe média alta, porém   se fosse num bairro de baixa renda com certeza o preconceito daria outras explicações...

Vamos cuidar do nosso lixo e cobrar do poder público uma destinação adequada. Cada um fazendo a sua parte  logo chegaremos a evolução!


Por mais que tento me distanciar do assunto "LIXO" mais me aproximo....creio que hoje o que permeia minhas preocupações é a questão do "lixo" e as responsabilidades com ele envolvidas...


Fantástico é a frase em que fala de " lixo e luxo " pois é a verdade , o "lixo" possui uma série de riquezas que uma hora serão descobertas e virarão disputa entre muitos empresários....EU ACREDITO NISSO  E VOCÊ ?

7 de janeiro de 2012

MOMENTO LIXO


Adriana Teixeira Simoni

Irremediavelmente não podemos viver longe desse momento, ele participa de todas as atividades humanas, é onipresente, não há maneira que eu conheça cotidianamente falando de não produzirmos lixo e sendo ele tão onipresente acredito já estar na hora de mantermos uma convivência  sadia e consciente do mal que o lixo mau administrado pode acarretar na vida em sociedade.

Eu com essa insistência em querer que todos manifestem práticas bem vindas com referência ao seu próprio lixo, acabo me indispondo e me aborrecendo, pois acredito ser inadmissível não demonstrar responsabilidades com o nosso próprio lixo e é cruel perceber isso em bairros de classe social diferenciada também,  pois tanto se vê irresponsabilidades com lixo na periferia quanto em bairros de classe média alta e me permito voltar novamente ao assunto fogos de artifício , que são lindos de observar, porém  deixam resíduos bem feios e quem solta baterias  de fogos ou pequenos foguetes deve se responsabilizar pelo lixo deixado numa área pública  bem como as pessoas que não  dispõem de paciência e jogam barranco afora armários os sofás que não querem mais.

Que a produção de lixo está presente em todas as atividades diárias já é sabido. Que há também uma demora do poder público para dar disposição final para o lixo urbano mais condizente tanto com a legislação vigente quanto para com o que o meio ambiente requer, também. Porém nem sempre essa solução esperada do poder público necessita ostentar gastos fabulosos com tecnologias importadas daqui ou dali, coisa que nos dias atuais com tanta podridão aparecendo envolvendo prefeitos da região e de familiares dos mesmos pode nos desenvolver certa desconfiança merecendo nossa atenção, pois afinal é o dinheiro de impostos pagos a municipalidade que seria usada nesses projetos e que poderiam fazer falta em outras áreas caso o investimento não fosse transparente.

Todavia não são necessários investimentos tão altos do município para contornar os problemas com o lixo urbano. A coleta seletiva implementada com seriedade em algumas cidades, renderam benefícios socioambientais incalculáveis o que proporciona economia na extração dos recursos naturais, geração de  renda e  pode movimentar milhões ao lidar da forma sensata com o lixo.

Mas o pior desse cerne está a população que precisa evoluir muito mais do que o próprio assunto lixo.  Essa população ainda está parada no tempo e não tem diferença social que explique tal comportamento. O assunto consciência ambiental tem de estar na pele como perfume, pois demonstrar práticas ecologicamente corretas além de “moda” faz com que as pessoas se tornem celebridades. Hoje uma massa grande de artistas está bastante envolvida com a causa ambiental, não só como protagonistas de publicidade, mas como uma prática pessoal cotidiana deles e se orgulham desse comprometimento. Então me pergunto o que há de MENOS em eu, você, seu vizinho em agir para o bem do ambiente onde vivemos?  Devemos separar e cuidar do nosso lixo na frente de nossa casa, sim cuidar, porque não basta a gente colocar pra fora, precisamos cuidar para que ele seja realmente encaminhado para reciclagem, espalhado pela rua só vai potencialmente lhe causar prejuízos futuros no carro, no esgoto de sua casa, e outros.

Enfim, as vezes a falta de apoio a  Cooperativa de Recicláveis  pode fazer com que  a mesma deixe de prestar um serviço a população eficaz  pois a falta de caminhões decentes para fazer a coleta nos bairros mina seu perfeito e requerido serviço de coleta de recicláveis sendo que se houvesse um convênio com a Prefeitura como há em outras cidades,  o bem seria para todos tanto ao município pela economia com toneladas de  lixo urbano com potencial reciclável que deixa de ser encaminhado ao aterro sanitário bem como o  social proporcionando renda a famílias de catadores cooperados  e melhorando a qualidade de vida da população em geral. Portanto dedique um momento  para o seu lixo!

11 de julho de 2010

CONVITE A RESPONSABILIDADE


Adriana Teixeira Simoni

Convido você a uma atividade diferente , uma atividade única mas que a sua participação pode tornar o mundo diferente. Venha comigo, desligue-se de tudo por um minuto, apenas um minuto.
- Agora tente visualizar tudo que você jogou no lixo ontem, digo tudo mesmo, e ainda tente lembrar como jogou, onde e para que tipo de ”lixeira” destinou.
Pronto? Muito bem, tenho certeza que seu espanto é tão grande quanto o meu. A quantidade de resíduos foi absurda, eu contei até as bitucas de cigarro (dos que minha irmã fumou, pois não sou fumante) e o volume de lixo é impressionante. O interessante, é que a qualquer ação que façamos em nossas atividades diárias, produzimos lixo, e ainda peço que multipliquem isso por semana, por mês e agora por toda a população do planeta . É... Está assustado... Pois bem, meu convite era para isso mesmo, para que ficássemos realmente assustados, para que parássemos um minuto para pensar na forma como tratamos o nosso planeta, sei que isso parece mecânico, que produzimos lixo automaticamente, nem percebemos , mas isso é um fato; estamos contaminando o planeta dia a dia sem notar !
Mas existem meios de suavizarmos essa mecanicidade produtora de lixo , se eu, o senhor, a senhora , sua família, seu vizinho nos conscientizarmos que somos um dos braços responsáveis por essa destruição do planeta juntamente com a tecnologia da produção, em escala assustadora, que nos mostra, nos provoca ao consumo exagerado e também logo a descartar por outro produto mais novo, mais bonito, com mais embalagem. Tudo isso é uma forma desastrosa de tratar o meio ambiente e que está passando desapercebidamente.
Porém, ao destinarmos o lixo aos seus destinos corretos, o lixo orgânico (cascas de frutas, verduras, restos de comida) para fazer adubo caseiro, o lixo reciclável para a cooperativa de reciclagem, gerando renda a muitas famílias, lixos tóxicos (pilhas,lâmpadas fluorescentes,pneus,embalagens agrotóxicos, óleo usado) enviados aos departamentos corretos, hoje temos coletores de óleo usado em vários pontos como também para pilhas e baterias , desta forma diminuímos a quantidade de lixo que será depositado em um lixão ou aterro sanitário que demorará centenas de anos para desaparecer.
Além disso, podemos colaborar convidando e conscientizando o maior número de pessoas a participar dessa rede curadora do meio ambiente, resguardando a flora e fauna que ainda nos resta, plantando mais árvores e protegendo nossos rios e nascentes, consumindo produtos de empresas com ações positivas voltadas para sustentabilidade, dando exemplos de cidadania.
Enfim, que essa reflexão tenha lhe servido de ânimo, para juntos de forma bem simples, promovermos uma limpeza, tanto do planeta quanto de nossas ações, e tenhamos sempre em mente que nossas crianças são agentes multiplicadores , eduquem suas crianças , convidem-nas a participar dessa faxina em prol do meio ambiente, ele nos retribuirá a todos com sua beleza e aconchego.


Publicado no Jornal O Popular em 07/07/2010

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...